Estudo: Ser igreja | Lição 2: Os propósitos bíblicos da igreja (parte 1: Deus)

Definimos na última aula que a palavra “igreja”significa “chamados para fora”, palavra usada secularmente no grego para uma assembleia de cidadãos que eram chamados para fora de seus afazeres diários a fim de se reunirem, a fim de estudarem e deliberarem sobre assuntos de interesse da cidade. No uso cristão, a palavra tem o sentido de uma assembleia de pessoas chamadas para fora de uma realidade de sua situação de perdição pelo pecado para viverem propósitos instituídos por Deus em Sua Palavra.

Mas, quais são estes propósitos?

Wayne Grudem, teólogo batista, nos responde esta pergunta valendo-se da teologia sistemática, que trabalha da seguinte forma: elege um assunto e examina a Bíblia, de capa a capa, pesquisando o que ela diz sobre aquilo, sistematiza, organiza, e chega a conclusões a fim de ajuda a igreja a ter um norte bíblico sobre os temas mais importantes sobre a fé, dando-lhe segurança para seus passos, a fim de que nada fique de fora e cumpra-se a vontade revelada de Deus nas Escrituras. Isso é doutrina.

Assim, podemos entender os propósitos da igreja em termos de ministérios com relação a:

I. Deus
II. os cristãos
III. e o mundo

I. Ministério com relação a Deus: ADORAR
O primeiro e mais importante objetivo desta assembleia cristã hoje, a igreja, é sairmos de nossas rotinas e afazeres normais a fim de nos reunirmos para cultuar a Deus, que é o nosso ponto de partida para tudo o mais o que devemos fazer biblicamente. 

De fato você é chamado para fora do sistema do mundo para que sua vida seja para louvor da glória de Deus, uma vida que é um culto: 

  • EF 1.11-12; CL 3.16-17; EF 5.15-20.

Mas, modernamente, os crentes inventaram uma vida evangélica diferente da Palavra de Deus. A pessoa crê e professa sua fé, mas não vive, há uma lacuna entre fé e vida. A pessoa é crente mas não seguidora de Jesus, pois, tão logo sai do pátio da igreja está envolvido nas distrações para qual foi chamado para fora. Dá jeitinhos, tudo é normal, e segue a vida. E depois reclama de Deus. Acha que ser crente é crer e seguir uma prática religiosa. Culto para muitos evangélicos modernos é ir a um prédio, cantar, ouvir e não mudar de vida cotidianamente. Mas não é assim, examinemos as Escrituras:

  • RM 12.1-2.

Essa prática tem sido aceita pelos homens, mas não por Deus.

O que Deus espera de nós, pela graça que Ele derramou e pela obra do Seu Filho, é discipulado; a igreja é precisamente uma comunidade de discípulos, seguidores de Jesus Cristo – que se reúne a fim de reforçar sua nova vida em Cristo pela fé.
Também estacamos na última aula a importância do culto para os batistas, através de dois documentos confessionais que estão no livro “Pacto e Comunhão”, editado pela Ed. Convicção da CBB.

1) “Filosofia da CBB”, item 4.9:
“A primeira atividade da igreja é o culto, que deve estar no centro de tudo que a igreja faz, e é a mola principal de toda a sua atividade. 
A vida toda e a organização de uma igreja devem emergir do culto, visto ser a igreja fundamentalmente um corpo que cultua. O culto deve ser também a inspiração de tudo que a igreja faz como igreja. 
A igreja que cultua a Deus, conforme a Sua vontade, realiza todos os seus programas – evangelismo, missões, educação, beneficência – tudo como culto, visto que são serviços prestados ao Deus a quem ama e serve.
Assim como o culto é vital para a igreja, o é, também, para o crente, que foi chamado para adorar a Deus, cultuando com a sua vida, dons e bens. Cultuar é pensar em Deus e conversar com Ele, é proclamar as boas novas de Deus e ministrar a um mundo faminto e ferido o nome de Cristo. Adorar é desfrutar do mundo de Deus com gratidão, visto que Ele o fez para nós. Para o cristão, cada ato da vida é um ato de adoração[culto], quando é feito com um amor que corresponde ao amor do Pai.

  • Os crentes precisam hoje ENTENDER isso, mas temos uma massa evangélica muito guiada pelo coração. Por isso, abaixo da Bíblia, documentos confessionais, como estes que estamos citando, confissões de fé e afins, são importantíssimos para a vida cristã. Precisamos usar mais a mente na nossa fé, e não somente as emoções. Tais documentos ajudam a direcionar para a prática de RM 12.1-2.

2) “Princípios Batistas”:
“O culto deve ser coerente com a natureza de Deus, na sua santidade: uma experiência, portanto, de adoração e confissão que se expressa com temor e humildade.”

  • Na ocasião destacamos que para que haja esta coerência no culto, é preciso, então, conhecer a Deus através das Escrituras, a fim de que cada um não crie o seu culto, mas que Deus seja cultuado conforme Ele quer e prescreve como deve ser adorado, pois nós não saberíamos como. Por isso, também, a Palavra de Deus deve ser pregada num culto a Deus – e somente ela – nada de auto-ajuda ou qualquer outra coisa que atenda aos homens como centro, e não a glória de Deus. 

Os “Princípios Batistas” continuam o texto dizendo assim:
“O culto não é mera forma e ritual, mas uma experiência com o Deus vivo, através da meditação e da entrega pessoal. Não é simplesmente um serviço religioso, mas comunhão com Deus na realidade do louvor, na sinceridade do amor e na beleza da santidade.O culto torna-se significativo quando se combinam, com reverência e ordem, a inspiração da presença de Deus, a proclamação do evangelho, a liberdade e a atuação do Espírito. O resultado de tal culto será uma consciência mais profunda da santidade, majestade e graça de Deus, maior devoção e mais completa dedicação à vontade de Deus.”

  • É preciso humildade e conformidade com o Verbo Vivo, não é para a religiosidade ou propósito humano que somos chamados para fora de nossa realidade de pecado e dos afazeres cotidiano, mas para prestar adoração em Espírito e em Verdade, é assim que Jesus merece. E em todo tempo de nossa vida.
  • Infelizmente, em muitas igrejas, culto se tornou tudo – exceto isso.

Na semana que vem falaremos sobre os propósitos para a própria igreja e o mundo em que ela vive.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: