Repita, por favor.

“Amados, esta é agora a segunda carta que lhes escrevo. Em ambas quero despertar com estas lembranças a sua mente sincera para que vocês se lembrem das palavras proferidas no passado pelos santos profetas, e do mandamento de nosso Senhor e Salvador que os apóstolos de vocês lhes ensinaram.” (2 PE 3:1-2).

Foram com esses versículos que eu comecei há algum tempo a registrar uma pequena lista de passagens da Palavra de Deus que falavam sobre “relembrar”. Esta lista foi feita aos poucos e com atenção ao conteúdo, e depois ficou ali, registrada.
Hoje eu entrei no carro e depois de agradecer a Deus sobre algo da minha vida, disse a Ele: “Mas, eu tenho dificuldade em reter alguns ensinos que recebo do Senhor”. Reter também no seguinte sentido: quando menos esperamos, estamos às voltas com aquele pensamento, tentação, prática ou quase prática, de algo que já nos arrependemos e aprendemos.
Antes mesmo de eu terminar a minha frase, Deus automaticamente me levou a lembrar desta lista na minha Bíblia e eu segui ponderando algumas coisas em pensamento…
Em nossos dias há algo que atrapalha, e muito, o aprendizado de valores espirituais, que é a constante novidade sobre tudo. A vida espiritual é uma construção, Paulo disse que somos edifícios de Deus. Mas hoje somos alimentados de novidades. “Agora é isso…”, “agora é aquilo…”, “agora é 2.0…”, “agora é 3.0…”.

“E agora eu lhe peço, senhora — não como se estivesse escrevendo um mandamento novo, o que já tínhamos desde o princípio — que nos amemos uns aos outros. E este é o amor: que andemos em obediência aos seus mandamentos. Como vocês já têm ouvido desde o princípio, o mandamento é este: que vocês andem em amor.” (2 JO 4 e 6).

Este foi o segundo versículo da minha lista. Veja, o que existe de “agora” nesta passagem é um pedido, para que se relembrassem de um mandamento que já tínham desde o princípio, mostrando a necessidade de relembrar. (Quanto a “senhora” destes versículos e da carta, alguns comentaristas bíblicos consideram que João está se referindo à igreja que se reunia em determinado lugar, e os filhos desta senhora, que ele faz menção, seriam os seus membros participantes).
Bom, antes que alguém me chame de antiquado com a reação acerca de novidades, registro que nada tenho contra ao avanço. Eu uso um celular com bons recursos (embora não seja aqueles modelos que fazem voar), temos GPS, procuro informatizar o máximo possível meus processos de trabalho, gosto de tecnologia; num bom equilíbrio, eu considero. Mas, o que ocorre é que não podemos levar este princípio para a vida espiritual. E aceite isso não apenas em conceito e asserção, mas na prática.
É importante sabermos dividir, separar as coisas. Tecnologia, conhecimento é uma coisa. Isso muda. Vida espiritual é outra coisa e não muda, como foi para as pessoas de muitos séculos atrás é para nós hoje. Vejo no Antigo Testamento o quanto as ordens e declarações eram repetidas (também no Novo Testamento, mas no AT parece que isso é mais frequente). Claro que no passado a tradição oral (essa forma de transmitir o conhecimento) era mais forte. Mas vejo em cada passo importante e decisivo, Deus e Seus homens repetindo ao povo: “lembre-se disso…”, “lembre-se daquilo…”. Não eram encaminhados de novidades em novidades, mas de lembrança em lembrança daquilo que era importante.

“Embora vocês já tenham conhecimento de tudo isso, quero lembrar-lhes que o Senhor libertou um povo do Egito mas, posteriormente, destruiu os que não creram.” JD 5

Este é o terceiro versículo da minha lista. E coincidentemente, ou não, fala justamente do época bíblica a que eu me referia. E tal exemplo está sendo usado no Novo Testamento. Deus seja louvado, creio que não é uma coincidência.
A construção de uma vida espiritual sólida precisa passar pela repetição de passagens da Bíblia, textos, pregações, hinos e demais ferramentais espirituais para que se CONSOLIDE a lição, o aprendizado. Você não recebe e sai fazendo. Precisamos guardar numa pasta dos nossos e-mails os textos mais edificantes que mais falaram às nossas necessidades. Precisamos criar uma pasta em nossos “favoritos” do navegador para o mesmo fim, arquivando o caminho para sites, blogs, vídeos, áudios e etc.
Vamos admitir, as igrejas entraram nessa “onda” de novidades e a cada culto querem algo “novo”. Mas, a espiritualidade não se constrói assim. Repito: não se constrói assim. Meu coração queima, e fica irritado com isso. Precisamos reler alguns livros (ou mesmo partes deles), precisamos urgentemente continuar nossa consolidação de lições e valores do Reino, senão pode passar! Pode ficar a informação, mas não a ação.


“Por isso, sempre terei o cuidado de lembrar-lhes estas coisas, se bem que vocês já as sabem e estão solidamente firmados na verdade que receberam. Considero importante, enquanto estiver no tabernáculo deste corpo, despertar a memória de vocês, porque sei que em breve deixarei este tabernáculo, como o nosso Senhor Jesus Cristo já me revelou. Eu me empenharei para que, também depois da minha partida, vocês sejam sempre capazes de lembrar-se destas coisas”. 2 PE 1:12-15


O apóstolo Pedro está escrevendo sua segunda carta (esta autoria já foi questionada, mas os estudiosos mais conservadores, e a tradição da Igreja, sustentam que é dele de fato). Veja que mandar uma carta na época não era coisa do outro mundo, claro, mas não era tão fácil quanto mandar um e-mail, convenhamos, ou deixar um recado numa rede social, ou enviar um SMS. Ele poderia, já que estava mandando outra carta, querer falar de… novidades! Contudo, acredita-se que a preocupação do apóstolo, e antes de tudo do Espírito Santo, era pelo mais IMPORTANTE, e para assuntos espirituais a questão era “relembrar”. Ele buscava isso VIVO OU MORTO (foi ele quem disse, veja acima), e isso para pessoas que considerava solidamente firmadas na verdade que receberam!
Gente! É singular, urgente, notório e necessário voltarmos e nos lembrarmos daquilo que nos edificou, principalmente no que temos maior dificuldade! Pare de cobrar ou sugerir sempre novidades em sua igreja. Se seu pastor estiver voltando a um assunto já pregado na semana passada, preste atenção, pois o Deus que inspirou a Bíblia, que nos diz para relembrarmos, tem esta mesmíssima preocupação hoje. (Você saberá, se seu pastor está tendo o peso no coração como Pedro nos versículos acima para relembrar, ou se está sem conteúdo para mensagem; pelo seu espírito saberá, e também pelo fruto que ele produz. Pelos frutos conhecereis a árvore).
Repitam, voltem, releiam, anotem!! Retornem o pensamento a certas lições!!!! Se é um mesmo tipo de tentação que está passando de novo, relembre a solução para ela, não caia em tentação! Fique no que Deus já lhe falou a respeito, e funcionou (claro que Deus pode expandir o que falou, e muitas vezes Ele o faz, mas não esqueça o que já foi tratado, pois Ele não esquece).
Eu mesmo volto a alguns textos que escrevi, pois sei que foram dados por Deus e eu mesmo preciso das lições contidas ali (normalmente é assim que funciona). Não caminhe só por “novidades espirituais”.
Eu não lembrava o conteúdo exatamente dos versículos, pois na minha lista anotei apenas as passagens. E na quarta vez eu “repeti” o primeiro versículo; que diz o que falei acima! Segue-a:

“Amados, esta é agora a segunda carta que lhes escrevo. Em ambas quero despertar com estas lembranças a sua mente sincera para que vocês se lembrem das palavras proferidas no passado pelos santos profetas, e do mandamento de nosso Senhor e Salvador que os apóstolos de vocês lhes ensinaram.” (2 PE 3:1-2). (Ainda que não fosse Pedro que tivesse escrito a carta – ainda que não fosse – seria uma segunda carta inspirada pelo Espírito relembrando os assuntos anteriormente tratados).


Pedro está, pelo Espírito Santo, terminando sua carta e toca no assunto de lembrar novamente, e se você ler o contexto verá que é para edificação na fé, para permanecer fiel, santo, exatamente o propósito da vida espiritual até que Cristo retorne para nossa nova vida com Ele. Esta certamente será A MELHOR novidade de nossas vidas. iPads, iPhones e MPs (3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12…) não serão nem uma partícula da partícula desta experiência totalmente nova. Será se nos mantivermos recordando dos valores espirituais e mantendo-nos no Caminho de Jesus. É a preocupação da Bíbia.
Se confessamos a Jesus como Senhor, é a Palavra dEle que obedecemos. Ora, a Palavra, muito mais do que a cultura, deve ter peso em gerenciar nossos atos. Então, muito mais importante do que novidades todo o tempo é relembrar os valores da vida, consolidar isso dentro de nós, construirmos, nos dedicarmos e nos ocuparmos com tal. Digo isso porque muitas pessoas hoje só querem novidades! Giram em torno disso.
RELEMBRE. Conversas, debates sobre a escritura, estudos bíblicos, discipulados… ANOTE. Volte, releia.
É claro que teremos novidades com Cristo aqui nesta terra. É claro que passaremos a assuntos novos. Lembre-se que comecei este texto dividindo um desabafo com Deus: uma dificuldade em reter certos ensinos. É para estas dificuldades, sobretudo, que estou falando, mas é um princípio sempre válido.
Reveja humildemente o material. Você não vai voltar a ele com expectativa de novidade, é um “material velho” para você, você quer novidade! Então, sejamos humildes, reconhecendo que precisamos DE DEUS para aquilo se cumprir na nossa vida.

“Portanto, suplico-lhes que sejam meus imitadores. Por essa razão estou lhes enviando Timóteo, meu filho amado e fiel no Senhor, o qual lhes trará à lembrança a minha maneira de viver em Cristo Jesus, de acordo com o que eu ensino por toda parte, em todas as igrejas.” (1 CO 4:17)

A preocupação dos apóstolos era de repetir sempre os ensinos para alimentar as pessoas para viverem no caminho correto. Para tanto, relembravam tudo em novas cartas, enviavam pessoas, como Paulo fez com Timóteo acima, e por ai vai. Bíblia é alimentação, você precisa alimentar-se dela para seguir – e precisa orar -. A prática do Evangelho está na repetição de valores, ensinos. Não é um “mantra”, é alimento! É repetir o “arroz e feijão” como fazemos sempre no prato de comida à nossa frente. Não pense “ah, isso eu já sei”. Já vi um sem número de pessoas dizerem isso nas igrejas. Isso é orgulho. O retornar e relembrar exercita a humildade.

Construa sua vida espiritual, ainda que muitos queiram acumular conhecimento. Quanto ao conhecimento, isto é bom, adquira-o! Mas não ache que só com isso vai crescer em Deus.

“A respeito de alguns assuntos, eu lhes escrevi com toda a franqueza, como para fazê-los lembrar-se novamente deles, por causa da graça que Deus me deu”. (RM 15:15)
“Mas o Conselheiro, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, lhes ensinará todas as coisas e lhes fará lembrar tudo o que eu lhes disse.” (JO 14.26). 
(Esse versículo nem precisa comentar muito, lembre-se que é uma promessa e Jesus anunciou umas das faces da missão do Espírito, há Um enviado para este fim, também!).

“Finalmente, meus irmãos, alegrem-se no Senhor! Escrever-lhes de novo as mesmas coisas não é cansativo para mim e é uma segurança para vocês”. (FP 3.1). (Essa carta começa alegre, será que cheias de novidades? Não, de lembranças, mostrando que é necessário, e para a espiritualidade não é cansativo. Se a “carne” cansar, humilhe-se a Deus).

“Portanto, convém-nos atentar com mais diligência para as coisas que já temos ouvido, para que em tempo algum nos desviemos delas.” (HB 2:1 ARC)

“Continue a lembrar essas coisas a todos, advertindo-os solenemente diante de Deus, para que não se envolvam em discussões acerca de palavras; isso não tem proveito, e serve apenas para perverter os ouvintes”. (2 TM 2.14).

Estas foram as passagens que anotei. Não estão na ordem da encadernação bíblica, mas na ordem observei enquanto fazia leituras (exceto HB 2:1 todas estão na versão NVI). Se você sabe de mais passagens a respeito, por favor comente e acrescente abaixo.

Lembre-se, assim como a fome volta, as circunstâncias trazem de volta a necessidade do alimento espiritual que já recebemos.
Lembre-se também que não estou falando de viver uma vida espiritual enfadonha, Deus lhe trará de muitas formas novidades sadias, e mesmo neste século você terá muitas coisas bacanas vindas como novidades, que não são pecado. A questão é saber priorizar, administrar. O que eu me refiro é a uma construção, onde você coloca tijolo após tijolo, e um é como o outro; mas como é bom ter uma construção!
Lembre-se de algo e reveja, relembre, humildemente.
(Esta mensagem é dedicada ao meu irmão em Cristo Jaime de Almenau, pois conversamos sobre este mesmo assunto na sala de sua casa e eu citei a respeito desta pequena lista.)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: