Reação a uma leitura em Apocalipse

“Visto que você guardou a minha palavra de exortação à perseverança, eu também o guardarei da hora da provação que está para vir sobre todo o mundo, para pôr à prova os que habitam na terra”. Bíblia, Apocalipse 3.10
Está é a Palavra do Senhor, digna de merecer toda nossa aceitação e atenção, porque é Santa, como o próprio Senhor.

O Livro de Apocalipse tem essa disposição de nos animar a fé, nos renovar o temor, de nos inspirar tenacidade para continuar firmes no propósito de servir a Deus nesta terra, para podermos nos manter santos e entrarmos no céu. Renova nossa certeza e o pensamento, mais uma vez “vemos” no íntimo: “estamos certos, estamos no caminho certo e verdadeiro”.

“Venho em breve! Retenha o que você tem, para que ninguém tome a sua coroa”. Bíblia, Apocalipse 3.11
A expressão “retenha o que você tem” faz pensar em tudo o que aprendemos até o momento da caminhada cristã. E aos que nada aprenderam, aponta para a necessidade de o fazê-lo, pois precisam agarrar-se a isso para poder entrar no céu com Jesus, esta é uma história real, é o que há de vir. Não é apenas acreditar em Jesus e na obra da Cruz (como se fosse apenas isso), mas também em tudo o mais que Ele falou que viria adiante. Se confiamos nEle para a salvação e O confessamos crendo na Obra da Cruz, também confiamos na Sua Palavra, fiel e exata em concretização. Tudo o que está escrito de fato se cumprirá.
Uma leitura nos livros do Antigo Testamento, Palavra de Deus, dá um exemplo claro. Acontecia dos profetas falarem, da parte de Deus, dizer a Sua Palavra, e no meio da narrativa, mais adiante no texto, vemos cumprir o que foi predito, seguido do registro “e aconteceu conforme a Palavra do Senhor que dissera o profeta Tal”. 
No Livro da vida estará registrado o cumprimento de todas as profecias bíblicas, inclusive do Apocalipse, o livro em comento. Já posso imaginar nos anais da vida registrado algo assim:

E assim se cumpriu a Palavra do Senhor, conforme João escrevera da ilha de Patmos, os antigos céu e terra passaram, os que estavam com Cristo estão agora nos novos céus e nova terra, e gozam da Luz do Cordeiro (Cl 1.19) iluminando sua morada eterna. Mas os que não tinham o que guardar, porque não aceitaram o Evangelho, que foi entregue a todos, e os que não guardaram porque foram displicentes com o que receberam, estão em trevas exteriores, desprovidos de luz, afastados de Deus eternamente, em lago de fogo e enxofre, porque não quiseram se arrepender de suas imoralidades sexuais (o que inclui o homossexualismo), da prostituição, do adultério, da mentira, do roubo, da falta de perdão; embora lhes fosse dado tempo e a graça necessária para tanto, e de todas as ferramentas e provisão estarem na terra para eles escolherem seus destinos eternos, eles preferiram não se arrepender e amaram mais os prazeres do que a Deus, e blasfemaram no último dia e assim quiseram estar ali em tormento eterno, conscientes do que perderam. Contudo, os que guardaram o que tinham, também estão conscientes do que abriram mão para viver para Cristo, mas também de tudo o que abraçaram pela maravilhosa graça, como presentes de Deus, desde a terra até a eternidade no céu. Tudo isso foi consciente para o homem, que escolheu com sua liberdade o que mais desejava, mostrando o que havia no seu coração, embora Deus houvesse proposto mudá-lo e transformá-lo pela graça. O Cordeiro sacrificou-se, orientou, deu tempo para se arrependerem, possibilitou a salvação, o Pai deu toda a graça que havia necessidade, o Espírito de Deus foi enviado à terra em Pessoa para ajudá-los, não somente anjos, não foi pedido que conseguissem por si mesmos porque não era possível. E alguns quiseram, outros não, amaram mais a terra que não era sem fim, o presente século em que estavam, que terminou e não era eterno, e escolheram para si o que receberam. Deus deu todo o Seu amor às pessoas, ainda pecadoras, errantes e rebeldes, com ajuda, abertura de vistas, conscientização através da Sua Igreja e do Seu Espírito, com passagem para a Vida pelo Sangue do Cordeiro; deu Seu Filho (!) – Jo 3.16-17. A humanidade não salva selou o seu próprio destino, eles mesmos decretaram sua perdição eterna em fogo que nunca se apaga, em trevas exteriores, num tempo sem fim. Terão eternidade também, mas em tormento somente. Eles definiram, porque quiseram sua vida imoral. Desprezaram o precioso Sangue de Jesus para lhes lavar a mente e o coração e para convertê-los a Deus, juntamente com Seu Espírito Santo, com a direção da Sua Palavra que indicava o caminho da santidade. Em certo sentido foram réus, acusadores e juízes de si mesmos; abaixo do Justo Juiz que os amou, procurando antes ser seu Advogado através de Cristo, mas eles foram rebeldes à Palavra. Certamente a vida que levaram não era sábia, não era boa como achavam, de nada se podia aproveitar. Melhor fizeram os que foram fiéis até a morte, pois a eles foi dada a coroa da vida, em paz eternamente, amém.

Será triste! Será triste! Será um dia de horror quando estas coisas forem executadas. Mas ainda não foram, embora serão. Neste ponto o que podemos fazer é mudar de lado, posto que é impossível mudar o cumprimento do Julgamento de Deus, que já está agendado por Ele, irrevogável; revejamos nossa moral, nosso perdão, e busquemos na fé para mudar, pois é o caminho proposto: arrependimento, perdão, abandono do erro, do pecado, e seguir pela fé, por meio da graça.
É transformar o centro da nossa vida. É colocar o alvo em Cristo, em Deus, no Pai, no Espírito. É colocar os olhos na Palavra e ver o que Ela diz e quer. “O que tiver ouvidos, ouça o que o Espírito diz as Igrejas”. É fazer parte da Igreja, e de uma igreja. É rever para quem estamos dando glória e adorando, se é aos nossos desejos moldados por este século, ou ao Divino.
“Tu, Senhor e Deus nosso,
és digno de receber
a glória, a honra e o poder,
porque criaste todas as coisas,
e por tua vontade elas existem
e foram criadas”.
Apocalipse 4.11
É pensar em quem é digno de receber glória, honra e poder. Ao carro? Ao sentido egoísta de viver só para mim? À carreira? Quem é digno de receber glória, honra e poder na sua vida? A quem criou todas as coisas, inclusive você. E à Palavra deste Deus maravilhoso e Senhor da humanidade (embora ela se ache sem Senhor e sem Palavra). A Palavra merece toda a reverência, pois “o Verbo se fez carne”; a Palavra é o próprio Cristo, o próprio Senhor. E Ele não mudará, Ele que criou e salvou (Ap. 7.10) é em Si a direção para a vida, não às cegas, mas com escolhas e a escolha do bem possibilitada pela graça, como mostrará o destino eterno de cada um. Aqui não há grego, judeu, escravo, livre, homem ou mulher, é decisão pessoal de cada um; nem seu casamento, nem nada pode influenciar, é cada um por si escolher o que quer. E se for escolhido o bem, haverá harmonia de direção garantida pelo Pai – um salvo conduto em meio às adversidades, tão garantidas como a salvação final da alma.
Para quem você quer se inclinar? Basta estabelecer e alinhar o centro da sua vida, para Deus ou para o mundo. O destino, conforme a Palavra, lhe dirá o fim.
Pense nisso. E aja.
“Visto que você guardou a minha palavra de exortação à perseverança, eu também o guardarei da hora da provação que está para vir sobre todo o mundo, para pôr à prova os que habitam na terra. Venho em breve! Retenha o que você tem, para que ninguém tome a sua coroa“. Bíblia, Apocalipse 3.10-11

4 comentários em “Reação a uma leitura em Apocalipse

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Site no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: